Grito surdo.

Eu queria [devia] fazer terapia. Minhas amigas agradeceriam. Eu agradeceria.
Nem eu mesma aguento o som das palavras repetidas que cismam em tomar corpo ao invés de só habitarem os meus pensamentos.

E que pensamentos chatos. Repetitivos. Ficam dando voltas. Me irritam. Se chocam uns nos outros. Me confundem. E eu já não sei mais o que escrevo.

E tudo isso por causa de uma mensagem inofensiva.
Que sofra de uma dor de barriga infernal o inventor das mensagens de texto.
A culpa é sua. Sim, é.

Não é minha que dei todos os meus números de telefone. Que dei todos os meus emails e perfis em redes sociais. A culpa é sua que criou esse instrumento tão direto e sem necessidade de interação. Você recebe a mensagem e ela fica lá, piscando, lembrando que alguém te procurou, lembrou de você, nem que seja para resgatar um item que você falou há semanas para ele pegar.

Por que hoje? A mensagem ainda vem acompanhada de "desculpas".
Sério mesmo que você ficou ocupado durante todo esse tempo e que HOJE, [pq hojeeee?] você resolveu que fazia diferença ter de volta? O que você quer de volta?

No presente momento eu te queria de volta, só para dizer que não te quero nunca mais.

Meu ego está gritando por isso...

Um comentário:

donluidi disse...

não existe melhor terapeuta do que uma boa conversa