Porque não, não é resposta.

Quando a gente é criança, parece que todos os nossos desejos são justificados.
Criança quer tudo, aponta para tudo, pede tudo.
E se não é atendida, enche o interlocutor de porquês seguidos e de argumentações fantásticas.
Se vencido pelo cansaço ou pela alegação, a criança recebe sua vontade.
Se não, é enganada com outra coisa.

Nesses dias percebo que ser adulto é reprimir desejos com os ecos das negativas recebidas.

Queria ser criança e ter direito aos meus infinitos porquês e poder exprimir minhas argumentações fantásticas e ser vencida pelo cansaço e ser enganada com outra coisa.

Qualquer outra coisa para esquecer.


Nenhum comentário: