Ah, não fode...

Épocas de transição de comportamento são tempos difíceis para a vanguarda. Imaginem o que foi para Leila Diniz aparecer grávida de biquini na praia pela primeira vez. Um escândalo. Mas ela teve que ir para hoje você poder fazer o mesmo. A evolução se alimenta da coragem daqueles que tiveram a audácia de ousar.

Eu não sou Leila Diniz. Pelamordeus, pretensão, segura tua onda. Mas que eu não sou como a maioria, isso eu não sou. Eu sou essa transição que alterna entre o velho e o novo. Entre o conservador e o progressista. E eu estou falando sobre sexo.

Conversando com algumas amigas, elas se questionam: será que eles só querem me comer? Eu questiono de volta: Por que? É ruim? Eles não fazem bem feito? Qual o problema em você só querer dar?

Tem muito problema, senhoras e senhores. Uma mulher que faz sexo pelo prazer, pelo simples ato de gozar é quase uma puta. Só não é uma puta inteira porque ela não cobra por isso. Às vezes, não cobra nem o orgasmo. Porque a gente não gozar é até normal. O cara goza, ejacula, e pronto. O sexo acabou. Vira pro lado. Dorme. Não é absurdo, acontece muito.

Somos educadas [pela família, pela escola, pela Globo] que sexo é algo próximo ao sagrado. Mas somente para nós mulheres. O cara sai, transa na primeira noite e quem não é valorizada? Nós.

Não, meu post não vai mudar o mundo. Nem sou tão revolucionária assim. Eu já falei mal de muita mulher que saiu transando por aí na primeira vez. Ou ainda, que na primeira vez que transou com o cara quis tudo. E por tudo eu to dizendo sexo anal e afins.

Porque, convenhamos, o nosso prazer é condicionado. É obrigação do cara tentar e é mais que nossa obrigação dizer não. E assim ele sabe que a gente vale a pena e é para casar.

Pois bem.

Se acreditamos que a anatomia humana é perfeita, o clitóris está ali por algum motivo. Descubram...

9 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Eu também faço parte das mulheres não convencionais e pago o preço alto por isso. Porque num país ainda muito machista como o Brasil, a mulher que tem independência emocional, quase sempre é vista como piriguete.

Sou contra essa cultura que dita que a mulher tem que ser submissa, tem que procurar um homem e ficar sonhando em casar na igreja e ter um filhos, como se isso fosse o sonho de toda mulher, como se não pudéssemos dizer não a tudo isso, como se a gente não pudesse dizer sim para nosso prazer.

Enfim, acho que por isso sigo sozinha, mas te digo que estou bem, melhor assim, pelo menos estou em paz comigo.

Beijocas

Neanderthal disse...

Olá! Então, você começa falando em Leila Diniz, que foi morta por ousar tanto, cujo agressor foi inocentado em nome da legítima defesa e termina falando em clitóris. E por incrível que pareça está tudo intimamente ligado quando falamos sobre as pressões que sofremos por sermos mulheres.
Não acho que ela foi uma precursora, mas sim que faz parte de uma geração que resolveu ousar. Talvez o caso dela tenha sido um dos mais repercutidos na época e talvez por isso seja bastante emblemático. Porque ela marca uma geração em fase de transição, que reivindica direitos, igualdade, liberdade sexual e afins em uma sociedade que até hoje é machista. Veja só o caso lá da menina do BBB que está todo mundo comentando, né!
Isso mostra o quanto o mundo ainda precisa mudar!
beijo grande

AquilesMarchel disse...

ahhhh


esse tituloé mt minha cara gostei
rsrrsrs


sabe o kid abelha? "meus amores nao sao implicantes com meus outros amantes, abaixo o depserdicio de hormonios"

mt bom seu textoo..lembra os bons momentos do casal sem vergonha

porimeira visita dignma
bjus aquiles prazer
mt prazer

Fefa Rodrigues disse...

Vc tem coragem!!

:o)

Will e Fá disse...

Ai Dora tão difícil esse tema!
o que eu acho é que, apesar de todos os avanços que já tivemos, ainda vai levar vários séculos para as mulheres se livrarem desse estigma sexual.
Por que todo mundo é machista mesmo (inclusive eu)e não sei se por questões de criação, de hormônios ou sei lá o que, mulher ainda não sabe separar bem prazer de amor, algumas até tentam ou fingem.Nos entregamos ao prazer e que se fodas o resto, mas fico com a impressão que não sabemos levantar, "fumar um cigarro", nos vestir e ir embora, com o mesmo desprendimento que eles fazem. A satisfação seuxal da mulher não tá no físico, mas sim no pscicologico. Até paramos de sonhar com o principe no cavalo branco, mas a verdade é que no fundo todas queremos que o Sherk ao menos ligue no dia seguinte.

Sei lá, talvez minhas bisnetas acalcem esse estágio.

Mudando de assunto, tem selinho lá no blog pra você, tá bom?!

Beijos,

don luidi disse...

Bato palmas publicamente para as mulheres bem resolvidas, daquelas que se quiserem vão transar, independente se primeiro ou milésimo encontro com um homem.

Concordo com a Dora que a grande maioria dos 'homens', egoístas', pensam somente no seu prazer e taxam as mulheres de pseudônimos indecentes por ela ter transado com 10, 50, 100 homens. Santa hipocrisia.

O charme e o mistério nos faz querer conhecer mais 'profundamente' uma mulher.

Conhecer a anatomia feminina, cada curva, cada pedacinho deveria ser requisito fundamental para todo o homem.

Graças a grandes professoras que tive em minha vida (rs), consigo satisfazer as mulheres sexualmente.

Duvida? Entra em contato que eu te provo (rs).

Um salve as mulheres independentes.

Fefa Rodrigues disse...

Vou usar esta postagem pra fazer um comentário sobre o comentário que vc fez la no meu blogts, tá!!

huhauhauhauha

Dora... eu lembro que minha professora de literatura zombava dessa história... ela dizia "mesmo que vc queria ser miss, não basta falar que seu livro preferido é O Pequeno Píncipe!!".... huahuahuahuah vc me fez lembrar disso...

Mas o livro é uma graça.. e uma vez eu assiti ao musical... foi muito lindo!!!

AMEI!

Suzi disse...

Realmente todos têm o seu corpo, para realmente fazerem o que têm vontade!

E qual é o problema com isso? Na verdade, nenhum. Porém, não são todas as pessoas que pensam iguais, desta forma, sempre terá algum que blasfemará, outro que apontará o dedo para ti, enfim, você será intensamente julgada!

Sexo por prazer, prazer com sexo, amor com sexo, sexo com amor.. Há tantos modos. Eu prefiro amor com sexo. Tá não namoro e daí? Tô a fim, mas não vou sair dando a torto e a direito. Por enquanto, vou dou um jeito de outra forma. Assim, conheço o meu corpo!!

Beijos

Suzi disse...

Nossa, depois que eu postei, vi que a última frase ficou estranha. Nem eu sei que escrevi ali. kkk..

Quis dizer:

" Que eu prefiro amor com sexo, mas como não estou namorando, fica difícil eu ter algo com alguém dessa maneira. Assim, dou um jeito de uma outra forma! Sim... Masturbação é a palavra. Desta forma, cada dia mais, eu conheço o meu corpo!!"

Sorry! Me empolguei na escrita e acabei não lendo após a conclusão!

Beijos!

Obrigada pela visita no meu blog!!!