Vendetta.

Sabe qual a questão?
Não, eu não sou burra.
Não, eu não sou cega.

Sim, eu sei interpretar os seus sinais enviesados em SMS com mensagens subliminares.
Mas, veja bem, quer moleza, beibe, senta no pudim.

Foi sempre assim.
Você decidia que me queria de volta, fazia algo completamente incompreensível e estranho.
Esperava q eu entendesse os sinais. E eu, burra, nem te dava trabalho. Nem fazia charminho. Eram meus braços abertos que você sempre via. E você voltava como se nada tivesse acontecido.

Eu, ao contrário, quando te queria de volta, me rasgava em declarações e amores, em atos e demonstrações do meu mais puro amor.
Te ligava um milhão de vezes, mandava 345 mensagens de texto, 309 emails.
Para você não me atender em 999.997 ligações, não me responder em 340 mensagens e me ignorar em 300 emails.
E mesmo assim eu tava lá. E você, de repente, resolvia que ia fazer o favor de perdoar o que eu claramente não tinha errado. E a gente voltava.

Pois agora, querido, se é isso que você quer [e eu não sei ao certo mais se eu quero que você queira!], vai ser mais difícil. Mais complicado. Mais exigente.

Dessa vez, você vai ter que querer como eu te quis. Independente de mim. E não só se eu quiser. Entende? Eu te amei [amo], não porque você me amava... então eu espero que se for para você lutar, que seja independente de qualquer recusa que eu pareça demonstrar.

Tenha trabalho. E eu juro, que como você fazia, eu penso no seu caso.

4 comentários:

donluidi disse...

O primeiro passo é se autovalorizar, cuidar primeiramente de nós, depois do outro. E nos lugares mais difíceis residem as mais belas paisagens

Anônimo disse...

Amor Próprio sempre.

Bjos, Nanda

Mariela Tomás disse...

É isso! Gostei do que escreveu. Nossa desde segunda sem escrever?? Vamos trabalhar essa imaginação ai porque coisas pra contar, não faltam. rs Bjs TE ADORO

Mari disse...

Vejo duas Doras nesse blog: uma moderna, resolvida, desapegada e que msm sabendo dos defeitos masculinos lida com eles levando aprendizado; e outra, romantica, encantada, apegada, que só quer um porto seguro mas a vida te chicoteia mas ainda assim não perde a esperança.
Diferentes inspirações, diferentes expressões... sempre muito boas. Adorei o blog. De verdade.
Com ou sem chinelo velho uheauhea
Boa sorte
Beijos