A menina

Era uma vez uma menina que gostava de um menino. Na verdade, ela não sabia se gostava. Ela estava no canto dela entediada, numa incômoda paz e podia ter ido ler um livro, plantar uma árvore ou andar de bicicleta. Mas ela achou isso tudo muito simples. Bom mesmo é complicar. E se é pra complicar, vamos fazer  o trabalho completo, com direito a paixão e tudo!

Então tinha essa menina que gostava desse menino. E como se não bastasse, esse menino tinha que ter uma namorada. Porque, veja, se ele tivesse sozinho, disponível e quisesse ficar com ela, tivesse proposto casamento, uma casa no campo e cinco filhos, ela diria que tava tudo muito simples. Complicado e interessante é o cara que não a quer. É o cara que não liga.

Mas não pense você que a menina que gostava do menino iria armar para o namoro do menino acabar. Por mais que a menina não escondesse que se um dia a namorada do menino fosse morar no Alasca, em Marte ou se simplesmente 'pluft' desaparecesse, ela ficaria, sim, muito feliz, não partiria dela essa ação.

E isso não significa que a menina não achasse que o menino valesse à pena. A menina tem todas as dúvidas, menos essa. Também não é bem o medo da rejeição que impede a menina de atentar contra o relacionamento do menino. A menina sabe que entre o certo e o incerto, os homens [e principalmente, os meninos] tendem a ficar com o incerto.

O que sustenta essa atitude da menina é saber que ela não quer alguém com dúvidas. A menina quer o menino inteiro. Então, a menina espera [im]pacientemente até que o tempo do menino e de sua namorada se esgote, pra que ela finalmente possa declarar isso, que ela não sabe ao certo o que é.

Mas é.
E a presença disso que a menina não sabe definir bem o que é, não pode ser ignorada.

4 comentários:

Lia disse...

E se tiver que ser, vai ser...

Fefa Rodrigues disse...

Ai Dora, eu amo tanto seus textos!!! De verdade... espero que esta "história" tenha outros capítulos!!!

Ahh... a frase no final do meu texto lá so dia dos namorados é do Rubem Alves, conhece???

Nerito disse...

Assim como a Fefa, também gosto muito do seu estilo de escrita. É leve, despretensioso e alegre, ainda quando aborda melancolias e desventuras...

Suzi disse...

Oie.

Será que esta história terá um final feliz??? Da menina com o menino ou do menino com a namorada?

Beijos