Entende?

existe algo que me toma, que me machuca, que arde e desconforta cada vez que vejo que seu mundo não gira só ao meu redor. A garganta aperta, o peito dói e eu não sei dizer da onde vem a insegurança de perder algo que não é meu e nem nunca será. Mas o desconforto persiste, a dor insiste e eu me contorço em caprichos tentando lembrar de todas as vezes em que achei que você me pertencia, só para acalmar um coração infantil, imaturo e mimado que não sabe viver o amor sem aprisionar.

Um comentário:

Nerito disse...

Se eu fosse adepto da auto-ajuda, diria que o amor nunca aprisiona. Só que seria mentira. O amor sabe ser tirano. E muito...