Há meros devaneios tolos a me torturar.... [o médico e o monstro]

o dilema é o seguinte: tem a Dora que eu sou e tem a Dora que eu quero ser. O ideal de mulher melhor que eu imagino.

E é uma briga diária. Quem eu sou grita, esperneia e quem eu quero ser senta calmamente para ouvir. Argumenta em vão. Quem eu sou é mais forte, mais alta. Quem eu sou é impulsiva e quem eu quero ser racionalmente explica porque a paciência recompensa.

Quem eu sou está cansada do discurso. Quem eu sou demanda ação. Sai pela porta em disparada e só volta quando está tudo dinamitado.

Quem eu sou, então, está arrependida. Deveria ter ouvido quem eu quero ser. Mas quem eu sou parece ser surda, quiçá cega. Senta e chora enquanto quem eu quero ser a consola.

Quem eu sou promete que da próxima vez [promete como prometeu da última vez] vai seguir os conselhos de quem eu quero ser.

Um comentário:

Dama de Cinzas disse...

Eu já quis ser tanta coisa que hoje em dia eu sofro por não querer mais ser nada... rs. Daí dá um desânimo de vez em quando... rs.

Beijocas